14/04/2024
Sem categoria

202 anos da Banda Sinfônica da Marinha serão comemorados em São Luís neste domingo

Como parte das comemorações do 202º aniversário, a Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil fará apresentação especial neste domingo, dia 10 de outubro, a partir das 19 horas, na Praça Maria Aragão. O acesso é gratuito e livre para todos os públicos.

 A Marinha do Brasil está realizando uma série de eventos cívico-culturais no país, destacando a importância da integração das Forças Armadas com a sociedade brasileira. E, em São Luís, o evento tem a parceria da Prefeitura, por meio da Fundação Municipal de Cultura (Func) e da Secretaria Municipal de Turismo (Setur).
Para as apresentações, a banda traz seu diverso repertório, constituído de marchas e canções militares, hinos, músicas populares e eruditas. Um dos pontos altos do concerto será a interpretação de “Can You Feel the Love Tonight” de Elton John, música tema do filme “O Rei Leão”.
Entre os grandes vultos do cenário musical brasileiro e internacional, que foram integrantes das bandas de música do Corpo de Fuzileiros Navais, destacam-se o professor e maestro Oswaldo Passos Cabral, autor do Poema Sinfônico “Riachuelo”, que retrata as glórias da Marinha do Brasil na Batalha Naval do Riachuelo, travada em 11 de junho de 1865, e o maestro Eleazar de Carvalho, regente titular da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre e da Orquestra Sinfônica de Saint-Louis, USA.
Tiveram ainda as bandas de música, como professor e regente, o maestro Francisco Braga, que também é o patrono das bandas de música da Marinha.
A banda – Atualmente, a Banda Sinfônica possui um vasto repertório, constituído de marchas e canções militares, hinos, músicas populares e eruditas. É composta por dois oficiais regentes, 85 músicos instrumentistas e 25 músicos pertencentes ao coro do Corpo de Fuzileiros Navais, nas graduações de suboficiais e sargentos, com formação e aperfeiçoamento realizados na Escola de Música do Corpo de Fuzileiros Navais.
A Marinha Brasileira é a única força armada que possui uma Escola de Formação de Sargentos Músicos, integrada na estrutura do Corpo de Fuzileiros Navais.
A Banda Sinfônica está integrada na estrutura da Companhia de Bandas do Batalhão Naval do Corpo de Fuzileiros Navais, localizado na Fortaleza de São José da Ilha das Cobras. Além da Banda Sinfônica, Banda Marcial e do Conjunto Fuzibossa, o Corpo de Fuzileiros Navais possui 16 bandas de músicas com efetivos menores integrando diversas unidades da Marinha espalhadas pelo território nacional.
Concertos – Das grandes participações musicais, podemos destacar, em 1952 no palácio de “Buckingham” (Inglaterra), um concerto sinfônico para sua majestade, a rainha Elizabeth II. Em 1974, na cidade de Hamburgo (Alemanha), sagrou-se campeã de um concurso realizado entre inúmeras bandas de música européias. Do contato com bandas militares de outros países, surgiu a ideia de criar uma banda sinfônica, que germinou e tomou forma rapidamente.
Em sete de setembro de 1970, foi ativada a Banda Sinfônica do Corpo de Fuzileiros Navais. Em 1977, sagrou-se vencedora do 1º Concurso Nacional de Bandas Sinfônicas Militares, realizado na Escola Nacional de Música do Rio de Janeiro, onde, recentemente, o reconhecimento da dedicação de seus integrantes veio em julho de 1996 quando a banda participou do V Festival Internacional de Bandas Militares, realizado em Módena, na Itália.
Em 30 de agosto de 1996, realizou o concerto de inauguração do Teatro Tom Jobim, na cidade de Assunção no Paraguai. Em 28 de junho de 2000, juntamente com a Banda Marcial do CFN, participou das festividades comemorativas do cinquentenário do Estádio Mário Filho (Maracanã). Participou nos anos de 1997,1999 e 2001 da Festa do Mar, na cidade do Rio Grande (RS).
Realizou concertos no Teatro Municipal de Brasília para os presidentes da República, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. Em 23 de junho de 2004, promoveu o concerto do 1º Festival Internacional da Cultura das três fronteiras (Brasil, Argentina e Paraguai), na cidade de Puerto Iguazu (Argentina). Gravou diversas obras famosas dentro do contexto, tanto popular quanto clássico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.