14/04/2024
Sem categoria

ARRAIAL DA ‘MARIA ARAGÃO’ COMEMORA TÍTULO DO TAMBOR DE CRIOULA COM PROGRAMAÇÃO ESPECIAL

Comemorando o aniversário de quatro anos de reconhecimento da manifestação Tambor de Crioula, elevada a Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, o Arraial da Praça Maria Aragão traz para este sábado (18) uma programação especial. Em celebração à data, a partir das 18 horas, dez grupos de Tambor de Crioula se apresentarão simultaneamente na praça e no entorno dela. São eles:

18h Tambor de Crioula de Canuto

Tambor de Crioula da Ilha

Tambor de Crioula Lírio de São Benedito 1

Tambor de Crioula de Neuza Marques

Tambor de Crioula de Hildenê

19h Tambor de Crioula Unidos de São Bento

Tambor de Crioula de Dona Zeca

Tambor de Crioula Fé de São Benedito

Tambor de Crioula Feira da Praia Grande

Tambor de Crioula de Manezinho

Após as comemorações, a programação da noite segue com a apresentação da Dança Portuguesa Sonho de Lisboa. Às 21 horas, a sonoridade inusitada e criativa de Alê Muniz e Luciana Simões, sobe ao palco da ‘Maria Aragão’ para mostrar toda a versatilidade da dupla, em um show contemporâneo e cheio de ritmos.

A partir das 22 horas, quem invade o terreiro da Maria Aragão é o Boi Novilho Branco, apresentando a diversidade de sotaques do bumba-meu-boi. Em seguida, Bumba-meu-boi de Axixá é quem faz a festa, embalando todos em sotaque de orquestra. Encerram a noite os Bois de São José dos Índios (matraca) e de Nina Rodrigues (orquestra).

O Título – O título de Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro foi anunciado em 18 de junho de 2007, pelo então ministro da Cultura, Gilberto Gil, para os milhares de brincantes que tomaram as ruas do centro de São Luis. O registro foi feito no Livro das Formas de Expressão do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o que evidencia a importância e a originalidade dessa manifestação cultural de cunho popular. Praticada no Maranhão desde a época da escravidão, é o décimo primeiro bem-cultural de natureza imaterial, inscrito em um dos quatro Livros de Registro do Programa Nacional do Patrimônio Imaterial.

Atualmente, existem mais de oitenta grupos de Tambor de Crioula cadastrados na Fundação Municipal de Cultura (Func).

A manifestação – A expressão máxima da cultura popular maranhense tem matriz africana. É tocado e dançado a qualquer tempo, no carnaval, nas festas juninas e fora dessas manifestações populares, geralmente em louvor a São Benedito.

A música é ditada pelo ritmo tocado em três tambores de madeira – o grande, o meião e o crivador – batidos geralmente por homens, enquanto as mulheres dançam. Os três tambores podem ser acompanhados, ainda, por matracas, dois pedaços de pau batidos no corpo do tambor grande, por trás de seu tocador e com palmas das dançarinas e do público presente, que formam um circulo ao redor de tocadores e dançarinas, os quais são usualmente denominados coreiros e coreiras.

Mulheres de saias coloridas esvoaçantes saúdam-se na umbigada, cumprimento entre as dançarinas que compõem a roda, dando a dança um toque de bom humor e sensualidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.