20/04/2024

Marcial Lima defende descentralização de arraiais juninos e mais investimentos para o São João

Nós precisamos descentralizar as festas de São João, levando os grandes arraiais para a zona rural da cidade, dando, assim, mais oportunidades de apresentação para as manifestações culturais do estado”, disse Marcial Lima (Podemos), na sessão ordinária desta quarta-feira (09), na Câmara Municipal.

De acordo com o vereador, é inadmissível que o Maracanã, por exemplo, local tradicional de realização da Festa da Juçara, não abrigue um grande arraial. “É preciso que o povo de toda a cidade tenha a oportunidade de ver o São João do Maranhão, porque quem está lá no Maracanã, quem está lá na Estiva, quem está nos locais mais longínquos desta ilha, em sua maioria, não consegue vir para os arraiais que ficam no entorno do Centro da cidade”, pontuou.

Além da valorização da manifestação cultural em si, Marcial destacou a geração de oportunidades de trabalho que os arraiais promovem nesses locais e na cidade. “Ganham as manifestações culturais, que aumentam no número de apresentações e consequentemente no seu custeio, ganha a empresa que os transporta, ganha o transporte alternativo, ganha o taxista, ganha quem vende a água, a bebida, a comida… porque é a noite toda funcionando”, disse o parlamentar, lembrando que a circulação de dinheiro fica bastante aquecida neste período de festas –  não só devido a participação da população local, mas pela intensificação do turismo na cidade.

O vereador também ressaltou, que como incentivador e produtor cultural, sente que a capital maranhense ainda tem muito o que aprender com cidades que se destacam pela realização de grandes festas neste período. Segundo ele, Campina Grande, na Paraíba, cidade onde morou por um longo período e que é conhecida nacionalmente por realizar o “Maior São João do Mundo”, há muito investimento. E que isto inclui o horário de encerramento das festas, que vai até o amanhecer.

“Não se admite que um Boi que sai para suas apresentações a meia noite, às 4h da manhã tenha que parar”, disse Marcial, acrescentando que como organizador de arraial, este é um ponto de entrave para o desenvolvimento do setor. Referindo-se a projetos em tramitação no Legislativo Municipal que ampliam o horário de funcionamento de estabelecimentos e festas, sugeriu uma definição quanto ao tema, para impulsionar a cultura na cidade.