20/04/2024
Sem categoria

Bairro de Fátima traz manifestações culturais e religiosas em suas raízes

Das orações na igreja do bairro às apresentações do bumba meu boi ou os desfiles da escola de samba, o Bairro de Fátima tem arte e cultura.


08/02/2015 – Jornal O Estado do Maranhão 

Apresentação do Bumba meu Boi do Bairro de Fátima

“A santa contemplação de Maria incita-os, de fato, à oração confiante”. Assim o Papa Paulo VI resumiu a mensagem de Nossa Senhora de Fátima em suas aparições aos três pastorinhos portugueses que a viram no ano de 1917. Em São Luís, a comunidade que leva o nome da santa tem na devoção uma das suas principais marcas. Mas a fé não é a única manifestação popular do Bairro de Fátima, que figura entre os bairros que são referências culturais na cidade.
Um grande número de comunidades da arquidiocese de São Luís realiza festejos em homenagem a Nossa Senhora de Fátima no mês de maio – o dia 13 é dedicado à padroeira. Entre as paróquias, uma das mais tradicionais homenagens à santa acontece no Bairro de Fátima. Data de 1960 o início do festejo, que este ano é realizado sob o olhar atento do padre Eudo Costa Ferreira Filho, pároco.

O festejo começou porque em 1953 a imagem peregrina de Nossa Senhora do Rosário de Fátima veio a São Luís, passando pelo bairro Cavaco. Naquele mesmo ano, por força de Lei Municipal, o local passou a se chamar Bairro de Nossa Senhora de Fátima, que a tradição popular abreviaria para Bairro de Fátima, nome que é usado até hoje. Aos poucos, foi crescendo no local a devoção pela santa. Quase 20 anos após a visita, Maria Elenice de Sousa Costa, hoje com 63 anos, mudou-se para o bairro. Foi quando tornou-se devota da padroeira.
Ela se mudou para o Bairro de Fátima quando se casou, vinda de Codó para São Luís na companhia do marido. “Eu me tornei devota de Nossa Senhora de Fátima quando me mudei para o bairro e comecei a participar da igreja. Ao longo de todos estes anos, ela me trouxe muitas graças. Tudo que eu pedi a ela eu consegui”, afirmou a dona de casa.
A devoção e fé de Maria Elenice de Sousa Costa, aos pés da padroeira do bairro, é confirmada diariamente durante as orações que ela faz na Igreja de Nossa Senhora de Fátima. A dona de casa é membro do apostolado da oração e todos os dias vai até a igreja cumprir suas obrigações. “Quando meu marido era vivo, ele também trabalhava aqui, fazendo as reformas, pintando os bancos e ajudando no que mais fosse preciso. Foi com ele que aprendi a devoção a Nossa Senhora de Fátima”, contou. Por causa da devoção à santa, o casal batizou os quatro filhos na igreja e chegaram a participar dos grupos da paróquia, como o de música.
Manifestações populares – Mas o Bairro de Fátima é também uma localidade de muitas manifestações culturais maranhenses. Tendo duas escolas de samba (Marambaia do Samba e Unidos de Fátima), vários blocos tradicionais, grupos de tambor de crioula, danças portuguesas, grupos de bumba meu boi, destacando-se o Boi do Bairro de Fátima de Dona Zeca (o mais antigo do bairro), um bloco afro, o Abibimã, entre outras. Em termo quantitativo, é um dos bairros que mais tem brincadeiras ou manifestações culturais, figurando ao lado de bairros como Madre Deus, João Paulo e Liberdade em número e diversidade de manifestações folclóricas.
Das duas escolas de samba do bairro, apenas uma continua desfilando no Carnaval de São Luís, a Marambaia. Fundada em 1954, a escolha destacou-se em 1979, quando apresentou um enredo tratando da Igreja do Desterro. Já em 1981, o tema foi o Bairro de Fátima. Naquele ano, a agremiação teve seu auge na passarela da Praça Deodoro, onde ocorriam os desfiles naquela época. No ano seguinte, porém, a Marambaia foi rebaixada para a então 2ª divisão do Carnaval ludovicense, onde ficou por muitos anos.
Após isso, a escola voltou a se destacar em 2010, sendo a quarta a desfilar na Segunda-Feira de Carnaval, classificando-se em 6º lugar, com o enredo Se ganhar não leva, e, se perder, arrasa. No Carnaval de 2011, a Marambaia do Samba se apresentou com o tema Igaraú, um santuário entre nós, conquistando um inédito vice-campeonato do Carnaval de São Luís. Este ano, a escola levará para a avenida um enredo em homenagem ao colunista social e jornalista de O Estado Pergentino Holanda.
Hoje, o bairro ainda tem uma vida noturna animada, com vários bares, pizzarias, restaurantes e clubes de festas, destacando-se o reggae. O agito noturno faz parte da cultura do bairro desde sua fundação. Nos anos 1960 e 1970, a Churrascaria Mineiro, que ficava onde hoje fica o prédio da Secretaria Municipal da Fazenda (Semfaz), era o point da boemia local. Tanta tradição folclórica é fruto da população do bairro, composta majoritariamente por negros, descendentes sobretudo de antigos habitantes da Baixada Maranhense que migraram para São Luís em busca de melhores condições de vida, trazendo consigo sua tradição cultural.
Unidos de Fátima
Fundada em 1956, inicialmente chamada de Correio do Samba, a Unidos de Fátima apresentou seu último Carnaval em 2012. A escola tem sua origem em um antigo bloco carnavalesco do Bairro de Fátima, o Correio do Samba. Também por isso adotou como símbolo, utilizado inclusive nos carros abre-alas, um pombo-correio, que a cada ano se transformava conforme os enredos da escola. A mudança de nome de Correio do Samba para Unidos de Fátima ocorreu na década de 1980. Em 1984, a Unidos de Fátima começou a despontar como uma das principais escolas da capital, ficando em terceiro lugar com o enredo sobre a Festa da Juçara. Daí, até 1990 a Unidos de Fátima ficou sempre em terceiro lugar no Carnaval. Em 1994, foi a campeã do Carnaval de São Luís com o enredo Tropa, tropeços do país tropical, tudo acaba em Carnaval. Em 2011, por falta de recursos, a escola não desfilou. Em 2012, voltou à passarela, mas acabou em último lugar. Este foi o último Carnaval da escola, uma das mais antigas de São Luís, o que é motivo de tristeza para a comunidade. Atualmente, no barracão da Unidos de Fátima, apenas as ferragens dos antigos carros alegóricos lembram os momentos de glória.
Bairro cultural
O pesquisador Neto Brito, do Centro Cultural Bairro de Fátima, fez um levantamento da discografia realizada pelas entidades culturais e artistas populares do bairro com o objetivo de mostrar que o Bairro de Fátima é um bairro cultural. Na pesquisa, ele conta o Boi de Pindaré com o primeiro disco de uma entidade folclórica da localidade. A gravação data de 1972. No disco, estava a toada antológica Urro do Boi, hino do folclore maranhense, interpretada por Bartolomeu dos Santos, o Mestre Coxinho.
O disco de Sambas-Enredos do Maranhão, de 1979, com participações das Escolas de Samba Marambaia, com o enredo A Igreja do Desterro, e Uni-dos de Fátima, com o enredo A festa do Mestre Sala no Reinado de Momo também faz parte do catálogo. Outro disco importante da comunidade é A Galopada, lançado em 1998 pelo cantor e compositor Davi Leite, O Tigre do Brega. O artista ganhou uma Flâmula da Itália, na década de 1970, e se lançou musicalmente através da Rádio Timbira.
Constam ainda os discos:
– Boi de Santa Fé (1998);
– Negro Encanto (2007), de Luiz Carlos Guerreiro;
– o DVD Bloco Afro Abibimã (Carnaval de 2011);
– o CD promocional do Bloco Tradicional La Boêmios de Fátima (2011) com a música tema Coxinho: Paixão Maranhense, de autoria de Careca de João Cássio;
– CD Bloco Afro Abibimã 22 anos de luta (2012);
– DVD Zé Olhinho Vida e Arte, O Mestre do Boi de Santa Fé (2011);
– CD dos Blocos Tradicionais Carnaval 2012, com destaque para o Bloco Tradicional Os Magnatas com O glamour Francês no banzeiro da Ilha Grande, melhor música-tema escolhida pela Rádio Capital-AM;
– CD Boêmio da Noite, do cantor e compositor Carlos Shaid (2011, in memória);
– CD promocional do Bloco Tradicional La Boêmios de Fátima (2012), em comemoração aos 400 anos de São Luís, com a música-tema Uma Luz Francesa ilumina São Luís;
– CD da Mocidade Independente de Fátima (2012);
– CD promocional da Escola de Samba Marambaia (2011);
– CD do Grupo Fruto da Raça Show (tem a frente o cantador “Zequinha de Coxinho”), uma das faixas deste CD é a música Ponta D’Areia, de autoria de Careca de João Cássio;
– CD Point Magno Roots (o melhor do Reggae Roots -Volume 3);
– CD Por Todas as Quebradas, lançado em 2011, pelo Grupo de Hip-hop Gospel Estrutura de Rua.
Escritores do Bairro
Raimundo Nonato Birino
Livro Editado em 2001
Titulo: Memórias de um Amor
Josimar Linhares
Livros Inéditos
Titulo: Memórias de Ana Luiza

Titulo: Contos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.