14/04/2024

Mais de 30 blocos tomarão as ruas neste domingo, na tradicional abertura do carnaval do RJ

“Minha carne é de carnaval/O meu coração é igual”. A turma que tem na canção dos Novos Baianos um verdadeiro lema se reencontra, finalmente, após dois anos de pandemia, neste domingo nas ruas do Rio. Mais de 30 blocos sairão pelo Centro e Zona Portuária na “Abertura do Carnaval Não Oficial”, evento capitaneado pelo movimento Desliga dos Blocos e que tem como principal estrela o Cordão do Boi Tolo.

A lista, com 34 grupos confirmados até a noite de ontem, incluiu velhos conhecidos e também novidades, como o Bloco do Zeca, que desfilará pela primeira vez, homenageando Zeca Pagodinho. A farra do fim de semana é uma espécie de pontapé inicial da festa e também servirá como prévia do carnaval propriamente dito. Se, em 2021, todo mundo se viu obrigado a ficar em casa por causa da Covid-19, em 2022, apenas os blocos que não fazem parte do calendário da Riotur tomaram a cidade. Oficialmente, a prefeitura vetou os cortejos no ano passado. Logo, 2023 marcará também a volta dos megablocos como o Cordão da Bola Preta e Suvaco do Cristo.

A saudade é grande, como contam os que já começam a preparar suas fantasias e adereços. Durante toda esta semana, circularam pelas redes listinhas com a programação deste domingo. A folia começa às 9h, com o Bloco do Zeca na Rua Sacadura Cabral, perto do MAR, e Mistério Há de Pintar, no MAM. E, certamente, terminará com o Boi Tolo, que não tem hora nem local para acabar já na segunda-feira. A concentração está marcada para as 16h de domingo entre a Rua do Mercado (conhecida também hoje em dia como Largo do Boi Tolo) e a Praça Quinze. Em caso de dúvidas sobre a localização desse gigante da folia momesca, é só lançar a pergunta clássica por aí: “Cadê o Boi Tolo?”.

– O domingo vai começar cedo, com o seu epicentro na Praça XV e Largo do Boi Tolo (Rua do Mercado). Mas terá também eventos por todo o Centro da Cidade e alguns até em outros locais – afirma diz Luis Otavio Almeida, representante do Desliga, que espera uma explosão de alegria há tempos não vista no Rio . – Com o arrefecimento da pandemia, imaginamos que este ano teremos um carnaval mais parecido com o que estamos acostumados. E esperamos que a prefeitura entenda que existe um carnaval livre, que ela não controla, e que respeite as tradições da cidade.

O Boi Tolo seguirá a tradição de sair sem percurso pré-definido, mas, em prol da proteção do seu público, vai priorizar trajetos que passem por estações do metrô. A preocupação dos organizadores não é com a segurança dentro do bloco, mas na saída, quando foliões, ao irem embora, se afastam da multidão.