14/04/2024

Cordino espera o Sampaio em busca do título de campeão maranhense

O IMPARCIAL – A conquista do 2º turno do Campeonato Maranhense pelo Cordino, na vitória sobre o Cordino por 3 a 0 na tarde do último domingo, foi seguida por muita comemoração, desde o Estádio Castelão até Barra do Corda, na Região Central.

Motivo: a Onça “abocanhou” três coelhos de uma só paulada ao garantir, por antecipação, vagas na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Série D do Brasileiro em 2023.

Por enquanto, o time já é vice-campeão da temporada 2022, mas a intenção é levantar o título máximo diante do Sampaio Corrêa, equipe vencedora do 1º turno.

A posição conquistada depois de uma grande reviravolta, quando esteve ameaçado de rebaixamento, após uma péssima campanha no 1º turno, foi comemorada com muita animação nesta segunda-feira (11).

Aplaudidos durante todo o trajeto percorrido em carro aberto do Corpo de Bombeiros, atletas, jogadores e comissão técnica vibraram muito. A Federação Maranhense de Futebol (FMF) marcou o primeiro jogo das finais para quarta-feira (13), no Estádio Leandro Silva, em Barra do Corda, às 15h30.

Em princípio, questionou-se a capacidade de público do Leandrão para atender as exigências do regulamento, que exige espaço no mínimo para 2 mil torcedores. O local, no entanto, abriga 2.500, segundo a prefeitura da cidade, que recentemente promoveu uma reforma e ampliação daquela praça de esportes.

O segundo, em São Luís, no entanto, ainda dependia da resposta da CBF sobre o adiamento do jogo do Sampaio na Série B do Brasileiro, contra a Tombense, na segunda rodada da competição nacional.

A entidade antecipou que sua intenção seria marcar a final do Estadual para o próximo fim de semana.

A campanha do Cordino só foi possível chegar à conquista do 2º turno, após a chegada do técnico Marcinho Guerreiro, que também indicou a contratação dos reforços, entre eles, o lateral Everton Silva, o volante Felipe Bahia e o atacante Paulo Victor, com apoio da diretoria. Mais uma vez, o grande destaque do time ficou por conta do atacante Ulisses, artilheiro da competição, com sete gols.

As esperanças do Cordino aumentaram após o confronto com o próprio Sampaio, nas semifinais, na disputa por penalidades. Agora, vem aí o tira-teima na decisão do título máximo.

Onça na Copa do Brasil pela segunda vez

A Copa do Brasil sempre foi disputada com a participação do campeão estadual, ou de uma seleção formada com os melhores jogadores do Estado. Assim aconteceu no final dos anos cinquenta e início dos anos sessenta, quando a competição deixou de ser disputada.

O Cordino esteve jogando a Copa Brasil como um dos representantes do futebol maranhense em 2018. O time de Barra do Corda teve que jogar em São Luís, contra o Náutico de Pernambuco. Deu empate de 1 a 1.

Como o regulamento é o mesmo que está sendo usado atualmente, 1ª e 2ª rodadas jogo único com empate favorecendo o mandante, a Onça foi eliminada naquela ocasião. No ano de 1989, volta a Copa do Brasil, tendo como nosso representante o Sampaio Correa.

Naquela época a Copa do Brasil não premiava como faz atualmente. Os clubes do Nordeste, principalmente o Sampaio, uma oportunidade de fazer caixa para trabalhar o ano. Contando com Domingos José Jorge Pires Leal, já na diretoria da CBF, seu padrinho, o time boliviano enfrentou Corinthians, Botafogo, Palmeiras e São Paulo.

Hoje, a Copa do Brasil é a mais cobiçada competição do Brasil. Alguns estados são representados por mais de dois clubes. O futebol maranhense, devido sua posição no Ranking da CBF, participa com três competidores que conseguem essas vagas com conquista das competições estaduais.

Outros clubes

Três vezes campeão maranhense, 2005, 2015 e 2019 e vice em 2007 e 2018, o Imperatriz já esteve em cinco vezes na Copa do Brasil. Nunca passou da primeira fase.

JV Lideral, Santa Quitéria; Juventude e Tuntum, são outros clubes maranhenses que já disputaram a Copa Brasil, com destaque para o Tuntum que conseguiu passar para fase seguinte da competição.

Merece registro negativo, a decisão do Bacabal que venceu o campeonato maranhense de 1996, e desistiu de participar da Copa Brasil. (Com informações do matemático Manoel Martins)

Por Neres Pinto , da editoria de esportes de O IMPARCIAL 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.