21/05/2024

Cultura maranhense sem fronteiras: discente da UFMA realizará apresentação de Bumba meu Boi em Harvard e MIT

Com o objetivo de valorizar a vasta cultura popular do Maranhão, João Igor Cariman Leite, discente do curso de Ciências Sociais da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) está prestes a levar uma parte dessa cultura para além das fronteiras brasileiras. Selecionado entre 200 propostas, o discente terá a oportunidade de apresentar uma performance de Bumba meu Boi, traço cultural típico da cultura maranhense, na 10ª Brazil Conference at Harvard, um evento organizado por estudantes brasileiros nas Universidades de Harvard e MIT desde 2015.

Este ano, a conferência ocorre nos dias 06 e 07 de abril, em Boston, nos Estados Unidos, oferecendo um palco para João Igor e outros talentos brasileiros compartilharem a riqueza cultural do Brasil com um público internacional.

A seleção de propostas para as apresentações foi dividida em duas fases. Na primeira, Igor precisou enviar sua proposta escrita, explicando como seria sua apresentação no evento. Ao passar para a segunda fase, o estudante precisou enviar um vídeo de até 15 minutos demonstrando como seria sua performance, para que fosse avaliada e, eventualmente, aprovada.

O tema desta edição será “O Encontro de Vários Brasis”, que busca gerar debates sobre os desafios sociais enfrentados no país, além de promover a cultura brasileira em novos espaços. A seleção para o evento ocorreu por meio do programa “Cultura Brasileira em Ação”, no qual Igor se inscreveu com a performance “Cazumba: Corpo que baila no terreiro”. Essa seleção escolheu apenas 2 artistas.

Também brincante do Boi da Floresta de Mestre Apolônio, no Quilombo Liberdade em São Luís, Igor descreve a sensação de apresentar a cultura maranhense além das fronteiras do Brasil: “Contar a história do Cazumba, entidade mística dos Bois de sotaque da Baixada e de Pindaré em uma das maiores e mais reconhecidas universidades do mundo só ressalta o quanto nossa cultura é potente e admirável” pontua o estudante.

A importância de levar a cultura brasileira, especialmente maranhense, para além das fronteiras é uma oportunidade de mostrar as belezas e riquezas carregadas por artistas que engajam danças, encenações, músicas, contos, literaturas entre outros atributos pertencentes a cultura. Além de guiar-se para fora dos muros da Universidade, Igor pode levar os conhecimentos adquiridos dentro de sala de aula no curso de Ciências Sociais e suas manifestações culturais para um novo público e uma nova comunidade interessada em conhecer de maneira artística todas as grandes qualidades cultivadas no Brasil.

Para as expectativas em relação ao evento, Igor acrescenta a visibilidade que o evento proporciona para o seu trabalho e para a cultura maranhense. “É a minha primeira viagem internacional, e em um evento de grande visibilidade e importância, logo o sentimento é de oportunidade que o espaço proporciona ao apresentar o meu trabalho social que realizo desde os meus 15 anos, entendendo que a cultura é o elemento fundamental na vida de todo ser humano, mas também levar a essência da cultura popular do Maranhão que é encantadora e diversas, nosso bumba meu boi e nossos cazumbas”, conclui.

A apresentação de Igor será realizada no dia 06 de abril, às 19h15, no campus de Harvard e será transmitido via YouTube para que todos possam apreciar a cultura e magia brasileira em todas as partes do mundo.

Brazil Conference 

O evento ocorre anualmente no mês de abril e foi pensado inicialmente em 2014 por alunos de graduação e pós-graduação brasileiros das instituições para comemorar os 30 anos de democracia no Brasil, a conferência ganhou proporções grandes o suficientes para que se tornasse parte do calendário de eventos e pudesse ser uma oportunidade de apresentar a alunos de diferentes continentes a cultura brasileira levantando debates e entendimentos acerca dos desafios e contribuições da cultura para sociedade. A 10ª Brazil Conference at Harvard já ganhou destaque nas páginas da imprensa, sendo apelidada de “Davos Brasileira”.