20/05/2024

O ASSASSINATO DO ARTISTA (parte 2) ou O GENOCÍDIO CULTURAL CONTINUA…

Por Caoca Cruz 

Então me pego surpreso com a notícia do lançamento do livro do MESTRE PAULINHO SALAIA.

Mais uma vez… o artista só consegue reconhecimento do poder público pós mortem… haverão discursos hipocritas , desafetos se dizendo “best friends” e aquele protetor de telas que cala a classe artística.

Eu diagramei e revisei o livro do Paulinho, o NAZA tratou as fotos e a edição final.
Findo o livro… a peregrinação pra publicar se fez árdua até sua morte, sem ver seu sonho concretizado.
Mais uma vez homenagens pos mortem, mais um artista assassinado em vida.

Desculpem a acidez e o inconformismo da minha reflexão…o bloco tradicional só existe no Maranhão… é uma coisa autenticamente nossa, familiar, de brigas de paixões… de amor porra!!!
Deveria ser melhor respeitado a luta de SALAIA, GODINHO, BRASA, MELO, NETINHO, SILVANA, WILLIAM, NICHOLAS, FLÁVIO, JAILSON PEREIRA, JOTHA JÚNIOR… dentre tantos que lutam pela sobrevivência do BLOCO TRADICIONAL.

Nos últimos dias de vida Paulinho, decepcionado com o destrato, o desrespeito aos blocos tradicionais… aposentou a retinta… cansaram o guerrilheiro no cansaço e a doença impunemente lhe tirou a vida.

Vai ficando a dica pros que o poder público ainda pode ajudar em VIDA, valorizando seus trabalhos.

Viram como é possível fazer????
Não precisa morrer pra ter o trabalho reconhecido, fica a história, o livro pros sobreviventes… mas creiam… Paulinho teria “morrido de felicidade “, se tivesse visto seu livro publicado em vida.

Vai Paulinho… vai tocar tua retinta autorizado por teu pai… vão lá… leiam o livro e conheçam a estória dos blocos tradicionais… leiam… leiam… não o deixem num canto jogado como os gestores fazem com nossa cultura.

Eu que o li, cru… saindo do coração do poeta… revi cada momento… foi mágico… daí eu entendi Paulinho, o que querias dizer, daí eu humildemente percebi… o poder que tem as palavras.

Obrigado pelo teu legado