14/04/2024

Sedihpop divulga resultado definitivo de inscrições aptas a concorrer ao Prêmio Magno Cruz 2021

A Secretaria de Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) divulgou o resultado definitivo das inscrições aptas a concorrerem ao Prêmio Magno Cruz 2021. A lista completa está disponível no link https://sedihpop.ma.gov.br/consulta-publica/2021-10-14-premio-magno-cruz-ata-resultado-definitivo/.

O prêmio celebra a memória de Magno Cruz, militante maranhense reconhecido nacionalmente pela sua combativa atuação no campo dos Direitos Humanos e na luta do movimento negro e quilombola e tem o objetivo reconhecer e multiplicar com o fortalecimento dos agentes e instituições que atuam na área. Entre os projetos inscritos, 82 foram considerados aptos a participar.

Até 36 ações serão reconhecidas com o valor total de 465 mil reais em prêmios. Entre as novidades, o prêmio traz as categorias de Comunicação e Direitos Humanos que premiará conteúdos jornalísticos com foco no debate e reflexão sobre o tema; de Juventude e Ativismo Digital voltada para jovens que atuam nas redes digitais com foco na defesa dos Direitos Humanos; e a categoria Defensores e Defensoras de Direitos Humanos, para personalidades maranhenses que atuam na promoção e defesa dos Direitos Humanos.

Os vencedores das categorias de Ativismo Digital e Defensores e Defensoras de Direitos Humanos serão escolhidos por voto popular.

“Estamos muito felizes com o número de inscrições que recebemos e por perceber que no Maranhão temos diversas iniciativas, profissionais, defensores de Direitos Humanos, ações sociais e projetos engajados na luta pelos direitos humanos no Maranhão. Agora iniciaremos uma nova etapa, que será de analisar cada proposta inscrita e selecionar àquelas que apresentarem as melhores práticas. Mas desde já queremos parabenizar e agradecer a todos os inscritos.”, disse Chico Gonçalves, secretário de Direitos Humanos e Participação Popular.

As propostas inscritas serão avaliadas pela Comissão Especial de Seleção do Prêmio Magno Cruz que é composta por três membros: Magali Do Nascimento Cunha, jornalista e doutora em Ciências da Comunicação, que atualmente é pesquisadora do Instituto de Estudos da Religião, colaboradora do Conselho Mundial de Igrejas e membro da Associação Internacional Mídia, Religião e Cultura; Davi Jose de Souza da Silva, mestre em Direito com ênfase em Direitos Humanos, membro da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) e da Comissão de Educação Jurídica da OAB – Pará; e Osnilda Lima, jornalista e especialista em Cultura e Meios de Comunicação, atualmente assessora regional de comunicação na Cáritas Brasileira Paraná, assessora da Semana Social Brasileira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e membro da diretoria na SIGNIS Brasil.

Serão considerados três critérios principais de avaliação e seleção de projetos: a relevância da ação e impactos para a promoção e defesa dos Direitos Humanos no estado do Maranhão; o grau de inovação da ação desenvolvida e, por fim, o histórico de atuação da pessoa física ou jurídica responsável pelo desenvolvimento da ação.

Ademais, a comissão avaliará o mérito da proposta também no que diz respeito à correspondência entre a categoria de inscrição e os resultados demonstrados. A jornalista Osnilda Lima ressaltou a importância de ações que valorizem práticas de Direitos Humanos no atual contexto no Brasil. “Nestes últimos anos acompanhamos, por exemplo, uma escalada de projetos de leis, no Brasil, que representam exponencial retrocesso nos temas relacionados aos Direitos Humanos. Com isso, aumenta a criminalização e perseguição de entidades e pessoas que atuam na defesa dos Direitos Humanos. Por isso, a importância do prêmio Magno Cruz que visibiliza, fortalece e potencializa as pessoas e instituições que atuam na defesa dos direitos humanos no Maranhão”, afirmou.

Para Magali Do Nascimento, com o Prêmio Magno Cruz o Governo do Maranhão mostra que valoriza a vida.

“O Estado do Maranhão está de parabéns pela iniciativa que representa muito neste momento crítico da história do Brasil. É muito significativo que tenhamos o poder público reconhecendo o valor da defesa dos Direitos Humanos. Ressaltar projetos que enfatizem Direitos Humanos é chamar a atenção para o coexistir, que precisa ser guiado pela concepção de que seres humanos são sujeitos de direitos, como o direito à vida em toda a sua plenitude”, afirmou.

O terceiro integrante da comissão, Davi Silva, acredita que reconhecer iniciativas voltadas para os Direitos Humanos é fortalecer a promoção e defesa de proteções, garantias e valores pelos quais uma sociedade democrática pode se orientar.

“Os Direitos Humanos constituem o núcleo duro do aprendizado moral desenvolvido em sociedade e representam os resultados normativos pelos quais os indivíduos, a sociedade e o Estado podem se orientar para que tenhamos uma coordenação social pacífica e próspera. O Governo do Maranhão dá continuidade a este aprendizado moral ao reconhecer, por meio do Prêmio Magno Cruz, as melhores iniciativas em torno dos Direitos Humanos. Desta forma, exerce seu protagonismo na promoção e defesa daquelas que são as nossas melhores e maiores intuições morais da vida em sociedade”, explicou Davi Silva.

Sobre a inclusão de novas categorias na edição 2021 do prêmio, Davi Silva destacou que é fundamental reconhecer os novos espaços, estratégias, demandas e necessidades da sociedade, considerando as transformações digitais e sociais que estão acontecendo.

“A transformação digital é uma realidade sociológica e epistemológica. Muito além da automatização ou das redes sociais, representa mudanças profundas nas nossas relações sociais, morais, econômicas e políticas. Considerando este cenário de mudança de paradigma, a ambiência digital é também um espaço social e político. Por isso precisa também ser ocupado pela defesa e promoção dos Direitos Humanos. Ao inserir as novas categorias (Comunicação e Ativismo Digital), o Prêmio Magno Cruz acompanha a transformação digital e se posiciona como protagonista da defesa e promoção dos Direitos Humanos”, opinou.

Nos próximos dias, a Comissão Especial de Seleção do Prêmio Magno Cruz receberá todos os materiais e documentos dos inscritos para análise e terá prazo de 20 dias para emitir parecer, atribuindo notas de 0 a 10. O resultado final com os vencedores do Prêmio Magno Cruz 2021 será anunciado no início do mês de novembro e a premiação será concedida em evento especial na noite de encerramento da Semana Estadual de Direitos Humanos, no dia 10 de dezembro de 2021.

Acompanhe as redes sociais da Sedihpop, @dhmaranhao (Instagram) e @DHMaranhao (Twitter), para ficar por dentro da programação que começará a ser divulgada em breve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.