22/02/2024

Show marca estreia do disco do duo The Caldo de Cana

Revelação de 2020, The Caldo de Cana lança, em show hoje, o álbum “Carcará de Duas Cabeças”

São Luís – O duo de nordestinos que fez do seu “Afrorróbaioquebeat” (uma mistura de afrobeat, forró, baião, brega, entre outros estilos), a The Caldo de Cana, composta pelos maranhenses Benedicto Lima e Felipe Costa Cruz, lançou, nas principais plataformas de streaming, o álbum “Carcará de Duas Cabeças”, com 10 faixas inéditas. O show de estreia será hoje, às 20h, no Reviver Hostel (Rua de Nazaré, 200, Centro Histórico).

Realizado pela Pítan Produções, o show contará, ainda, com outro lançamento maranhense: “Amor Delivery”, de Tiago Máci, lançado também este ano. A noite terá, além do cantor e da dupla The Caldo de Cana, a discotecagem do DJ Jorge Choairy.

O show terá faixas conhecidas das duas atrações principais, com repertório autoral que vão de sucessos como “Aliciando” a “Você Me Usou”, “Samba do Fuleiro”, “Tá vendo Baby”, entre outros.

Disco
O disco, assim como nos singles “Você Me Usou” e “Aliciando”, lançados há alguns meses, é marcado pelo encontro entre ritmos regionais e beats eletrônicos, símbolo característico do duo, criado em 2017. “O símbolo, do carcará de duas cabeças, foi criado pelo ilustrador Gabriel Hislla (que fez a capa do disco) para representar a dualidade da The Caldo de Cana. A relação com o passado e o futuro e entre o regional e o mundial. São esses diálogos que são explorados nas nossas músicas”, analisa Felipe Costa Cruz.

Nomes como Luiz Gonzaga, Odair José, Fela Kuti, Bob Dylan, entre grandes nomes da música internacional e nacional, aparecem como principais referências em um disco bastante plural: da premiada “Jerry” a contagiante abertura com a faixa-título, por exemplo.

“As dez faixas desta estreia da The Caldo de Cana representam as experimentações e as referências já bastante pulsantes entre mim e o Felipe. Tem também o bom humor, tem inspirações em músicas internacionais, como nas faixas que cantamos em inglês. O nosso objetivo nem era de atingir um mercado internacional, por exemplo, mas sim de viver essa experiência para entender como essa música fluiria em outra língua. E gostamos bastante do resultado”, comentou Benedicto Lima.

Forró, baião, brega, xaxado, música caribenha, e tantas outras referências musicais podem ser ouvidas em faixas que vão de “Julle” à “Drama Queen”. As músicas foram gravadas na Casa Loca, com produção de Adnon Soares – mesmo nome por trás da produção de discos de outros artistas maranhenses, como Casa Loca, Marcos Lamy, Gu7o, Rauchoa, Bimbo, Soulvenir, Paulão, entre outros.

Editais
Em 2020, a The Caldo de Cana esteve entre os 200 trabalhos selecionados no segundo edital da série Arte como respiro: múltiplos editais de emergência, do Itaú Cultural. O edital, que objetivou apoiar os artistas nacionais durante o período de isolamento social, selecionou o duo do Maranhão entre mais de 12 mil trabalhos inscritos.

Meses depois, a banda foi selecionada para se apresentar na segunda edição do Musicanto 2020, festival realizado na cidade de Santa Rosa (RS). O duo não só se apresentou no festival, como levou dois prêmios: o de “Melhor Arranjo” e o de “Melhor Música por Votação Popular”, ambas para a faixa “Jerry”, a quarta de “Carcará de Duas Cabeças”.

E além da seleção via Lei Aldir Blanc Nº 14.017 na terceira edição do edital Conexão Cultural, realizado pela Secretaria da Cultura do Estado do Maranhão (Secma), a dupla encerra 2020 selecionada no Conecta Música, realização do BR135, projeto da dupla Criolina, formada pelos músicos Alê Muniz e Luciana Simões, e também viabilizado pela Lei Aldir Blanc no Maranhão.l

Serviço
O quê

Show de lançamento do álbum de estreia da banda The Caldo de Cana, “Carcará de Duas Cabeças”

Quando

Hoje, às 20h

Onde

No Reviver Hostel (Rua de Nazaré, 200, Centro Histórico)

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.