Escritor, dramaturgo, médico oncologista, pós-graduado pela Universidade de Londres e membro da Academia Nacional de Medicina, Gilberto Schwartsmann será homenageado no dia 12, segunda-feira, com o Mérito Cultural, categoria Personalidade Nacional, distinção honorífica que será entregue, pela primeira vez, a um representante nacional.

Além dele, nesta segunda edição do evento Mérito Cultural, outras 16 personalidades também serão homenageadas, em cerimônia que ocorrerá no cineteatro Aldo Leite, no Palacete Gentil Braga, com transmissão ao vivo pelo Canal Institucional da UFMA, no YouTube, a partir das 18 horas.

A distinção Mérito Cultural é entregue a personalidades que têm contribuído significativamente para a cultura do país e do estado em diversos segmentos como literatura, música, teatro, artes plásticas e cultura popular. Os homenageados ganham destaque por relevantes atividades ou trabalhos prestados ao desenvolvimento da cultura em qualquer das suas áreas. A solenidade está prevista no Estatuto da UFMA relativo ao título “Das Dignidades Universitárias”.

primeira edição ocorreu no dia 17 de dezembro de 2021 e homenageou 20 personalidades. Agora, a UFMA condecora 17 nomes importantes para a cultura local e nacional.

Conheça os homenageados

1. Gilberto Schwartsmann – Professor titular de Oncologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. É membro da Academia Nacional de Medicina, escritor e dramaturgo, com obras traduzidas para o espanhol e o francês. Presidiu a Academia Sul-Rio-Grandense de Medicina e Central de Desenvolvimento de Drogas Anticâncer da organização europeia para a pesquisa e tratamento do câncer. É membro da real academia da Espanha e professor emérito da escola latino-americana de Oncologia. Presidiu a Fundação Bienal de Artes Visuais do Mercosul e a Bach Society Brasil. Ele preside a Associação Theatro São Pedro e a biblioteca pública do estado do Rio Grande do Sul. Já foi agraciado com o prêmio Eva Sopher de destaque cultural e com o prêmio Açorianos de Cultura de Porto Alegre. Recebeu o prêmio da Associação Riograndense de Imprensa, o prêmio Açorianos de Artes Visuais e a Medalha do Exército Brasileiro. Orientou cerca de cem teses e dissertações, publicou vários livros e capítulos no país e no exterior, com mais de 250 artigos. É pós-graduado pela Universidade de Londres, PhD pela Universidade Livre de Amsterdam e possui Pós-doutorado no instituto nacional do câncer dos EUA.

2. Aldo de Jesus Muniz Leite – Ator, diretor, teatrólogo e escritor maranhense foi professor do Departamento de Artes da UFMA, vencedor do prêmio Molière de melhor diretor de teatro, conquistou reconhecimento nacional e internacional.

3. Ana Emília Moreira Santos – Nasceu no Quilombo de Matões dos Moreira, em Codó. Coordenadora de Igualdade Racial da Secretaria de Juventude e Igualdade do Município, lutou pela criação da Conaq, da Aconeruq e atua em defesa das comunidades negras rurais do estado.

4. Antonio Alves de Almeida – Muralista, ceramista e escultor cearense, o artista visual produziu aquarelas, xilogravuras e colagens. Imortal da Academia Maranhense de Letras, a galeria do Palacete Gentil Braga leva o seu nome. Eternizou a sua arte em ruas, praças e prédios da cidade de São Luís do Maranhão.

5. Arlete Nogueira da Cruz – Filósofa, professora universitária, escritora e poetisa maranhense, é autora dos livros “A parede”, premiado pela Academia Brasileira de Letras, e “Litania da velha”, que virou filme com premiações nacionais e internacionais.

6. Ceres Costa Fernandes – Professora do curso de Letras da UFMA, foi diretora do Centro de Criatividade Odylo Costa Filho. Imortal da Academia Maranhense de Letras, tem vários livros publicados e recebeu importantes condecorações.

7. Edgar Soares da Rocha – Fotógrafo, guardião da memória fotográfica do Maranhão, está radicado em São Luís há mais de quarenta anos. Possui um dos mais raros acervos fotográficos do país, com registros da cultura popular, natureza e arquitetura maranhense nos séculos 19 e 20.

8. Joãozinho Ribeiro – Poeta, músico e gestor cultural, o cantor e compositor maranhense é autor de valiosos registros fonográficos. Membro da Academia Ludovicence de Letras, foi secretário estadual e municipal de cultura.

9. Joaquim Haickel – Advogado, jornalista e cineasta maranhense, é empresário e ex-deputado estadual, autor das leis estaduais de incentivo à cultura e ao esporte. Imortal das Academias Maranhense e Imperatrizense de Letras, implantou o Mavan, museu do audiovisual do Maranhão.

10. Jomar da Silva Moraes – Pesquisador, cronista, crítico e historiador de literatura, escreveu mais de quinze livros e recebeu onze prêmios literários. Foi procurador da Universidade Federal do Maranhão e presidiu a Academia Maranhense de Letras por 22 anos.

11. José Ribamar Ewerton Neto – Maranhense da cidade de Guimarães, é engenheiro metalúrgico, pós-graduado em Letras, Literatura e Jornalismo Cultural. Escritor, poeta e cronista com livros premiados, é membro da Academia Maranhense de Letras.

12. Josilda Bogéa Anchieta – Licenciada em Letras Modernas pela UFMA, onde também cursou Comunicação Social, foi professora de Língua Portuguesa e diretora do Jornal Pequeno. Criou e coordenou importantes suplementos culturais e literários.

13. José Francisco das Chagas – Escritor, cronista e jornalista, o poeta paraibano viveu no Maranhão por 68 anos. Imortal da Academia Maranhense de Letras, publicou mais de 20 livros e teve poemas musicados e gravados por grandes nomes da MPB.

14. José Maria Meireles Júnior – Designer por formação, é fotógrafo premiado e autor de dezenas de livros. Entre suas principais publicações estão “Manguezais Raízes Maranhenses” e “Ritos Tenetherar, a cultura ancestral de um povo”.

15. Neide de Jesus – Maranhense, nascida no Quilombo de Itamatatiua, em Alcântara, a ceramista e líder comunitária implantou o Centro de Criação de Cerâmicas. A produção e venda de artesanato garantiu renda e áreas de moradias para famílias quilombolas.

16. Lindomar Rocha – Natural de Santana do Maranhão, é lavrador e filho de lavradores. Poeta, cordelista e servidor público, é autor de cinco livros de poesia, onde aborda temas sociais. Em 2017, lançou a revista temática em cordel, publicada pela editora Siart.

17.  Luiz Phelipe Andrés – Engenheiro, dedicou sua vida à preservação do patrimônio cultural, arquitetônico e histórico de São Luís. Sua atuação contribuiu para que São Luís recebesse o título de patrimônio da humanidade. Também criou o Estaleiro Escola do Sítio