19/05/2024
Sem categoria

CNJ pune ministro Paulo Medina com aposentadoria compulsória




Ministro Paulo Medina foi aposentado compulsoriamente depois de ter sido acusado de participar de um esquema para beneficiar donos de bingos

Pela primeira vez desde a sua instalação, em 2005, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) puniu um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O ministro Paulo Medina foi aposentado compulsoriamente depois de ter sido acusado de participar de um esquema para beneficiar donos de bingos. O CNJ também resolveu aposentar compulsoriamente o desembargador José Eduardo Alvim, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), pelo mesmo caso. Medina está afastado da corte desde maio de 2007.

A Polícia Federal (PF), na Operação Furacão, encontrou indícios de que o ministro integrava um esquema de venda de sentenças. As investigações mostraram que Medina teria recebido aproximadamente R$ 1 milhão para dar decisões judiciais que liberavam máquinas de caça-níqueis no Rio de Janeiro. Além do processo no CNJ, os dois respondem a ação penal na qual serão investigados criminalmente.

O advogado de Medina, Antonio Carlos de Almeida Castro, afirmou que não existem provas que seu cliente tenha recebido qualquer benefício em decisão favorável aos bingos. De acordo com as investigações, a negociação de venda de decisão judicial teria sido feita pelo irmão de Medina, Virgílio Medina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.