27/05/2024

Iphan lança material educativo que traz a temática do tema do Boi de costa de mão

Reconhecido como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade desde 2019, o bumba-meu-boi inspira as aventuras contadas no kit de Educação Patrimonial para crianças, elaborado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Maranhão (Iphan-MA), autarquia federal vinculada à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo. Com lançamento no dia 08 de novembro, às 9h, o kit educativo conta com filme de animação, livro de histórias, revista em quadrinhos, cartilha e caderno de passatempo.

 Os materiais são direcionados a estudantes do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental e fazem parte do projeto O Boi vai à Escola, que integra ações de Educação Patrimonial e de salvaguarda do Complexo Cultural do Bumba-meu-boi. A ação teve início em 2014 e tem realizado minicursos e oficinas envolvendo alunos, professores e gestores de escola. O objetivo é promover os bois de costa de mão, utilizando o processo ensino/aprendizagem como aliado na preservação desse sotaque e buscando manter viva a tradição.

 Para desenvolver o projeto, o Iphan-MA contou com a parceria de grupos de bois de costa de mão e da Unidade de Educação Básica Honório Odorico Ferreira, da rede pública municipal de ensino São Luís (MA).

 “Nós escolhemos falar do boi de costa de mão porque é um sotaque que tem menor número de grupos no estado todo, é um estilo que está em vulnerabilidade”, explica a idealizadora do projeto, cientista social do Iphan-MA, Izaurina Nunes. “Buscamos aproximar a comunidade escolar desses bois, fazendo um trabalho de base com as crianças, que poderão reverberar os conhecimentos adquiridos dentro de suas famílias”, acrescenta.

 O kit de material paradidático será distribuído na escola onde o projeto foi executado, nas bibliotecas e escolas da rede municipal de São Luís, em órgãos de cultura e patrimônio, assim como nas unidades do Iphan pelo país. O lançamento do kit representa a penúltima etapa do projeto O Boi vai à Escola. Na primeira etapa, as crianças participaram de oficinas de desenho, colagem, contação de histórias e confecção de indumentárias. Também foram promovidas formações de Educação Patrimonial com professores, debatendo sobre Patrimônio Cultural e aspectos do bumba-meu-boi.

Patrimônio Cultural para crianças

 O kit de material paradidático do projeto O Boi vai à Escola inclui o filme de animação O boizinho de São João, que conta o nascimento e vida do boi encantado Odorico, estrela das festas de São João da Fazenda Tajipuru. A produção apresenta toadas do grupo de bumba-meu-boi Brilho de Areia Branca, do sotaque costa de mão. A animação é direcionada a crianças do 1º ano do Ensino Fundamental.

 Outra peça de destaque do kit de Educação Patrimonial é o livro As aventuras do boizinho Odorico, que conta histórias sobre o bumba-meu-boi e fala da sua importância para a comunidade. Também apresenta a lenda de Dom Sebastião e trechos de toada de Humberto de Maracanã. Algumas das histórias que compõem o livro são adaptações de textos produzidos por alunos do 2º ano da Escola Honório Odorico Ferreira, localizada no bairro Tajipuru, na zona rural de São Luís.

 Dentre as publicações, também está a revista em quadrinhos O sonho de Belinho, que apresenta o bumba-meu-boi como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. Por meio de uma viagem no tempo, os personagens conhecem a importância do boi para diferentes culturas, passeando pela Grécia Antiga, Egito Antigo, Índia, cavernas pré-históricas e muitos outros lugares. O kit também conta com uma cartilha e caderno de passatempo que tratam sobre patrimônio, cultura e identidade.

 Bumba-meu-boi

Em 2011, o Complexo Cultural do Bumba-meu-boi do Maranhão foi reconhecido pelo Iphan como Patrimônio Cultural do Brasil. Em 2019, o bem recebeu o título de Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco).

 Uma das principais manifestações culturais do estado do Maranhão, o bumba-meu-boi envolve música, dança, teatralidade, artesanato, religiosidade e um universo de saberes. Comporta vários estilos de brincar, chamados de “sotaques”, dentre os quais se destacam o de baixada, matraca, zabumba, costa de mão e orquestra. Nesta grande celebração cultural se articulam infinitas formas de expressão, entrelaçando fé, festa e arte.

 O sotaque de costa de mão surgiu em regiões com população majoritariamente negra, em áreas de quilombos. O nome faz referência aos pandeiros que são tocados com o dorso das mãos, principal característica do estilo. Atualmente, o sotaque apresenta apenas oito grupos em todo o Maranhão. São três em Cururupu, um em Bacuri, dois em Serrano do Maranhão e dois em São Luís.

 Serviço:

Lançamento do kit de Educação Patrimonial do projeto “O Boi vai à Escola”

Data: 08 de novembro de 2022

Horário: 9h

Local: Unidade de Ensino Básico Honório Odorico Ferreira, na Avenida Principal, nº 12 – Tajipuru, na zona rural de São Luís (MA).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.