14/04/2024

Antologia “A voz da mulher” será lançada nesta quarta-feira (31)

As irmãs, Wanda e Isabel Cunha durante o Recital Poético 30 anos sem Carlos Cunha, transmitido pelo canal Inspire e Comunique no YouTube em outubro do ano passado

SÃO LUÍS – A Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil – Coordenação do Maranhão (AJEB/MA) promove, nesta quarta-feira (31), a partir das 19h, por meio de live no instagram @ajeb-ma, o lançamento da antologia-e-book “Por que Escrevemos – A voz da mulher”, uma coletânea de textos em prosa e em poesia, assinada por 24 ajebianas maranhenses. Na oportunidade, será prestada uma homenagem póstuma à artista Isabel Cunha, que deixou relevantes contribuições às artes maranhenses, falecida em 08 de janeiro deste ano, vítima de covid-19. A live contará também com a participação de Dyandreia Portugal, da Rede sem Fronteiras.

“Essa antologia é um importante instrumento de veiculação da literatura produzida por escritoras maranhenses que reúnem suas vozes para dizer: ‘estamos aqui espalhando nossa escrita no mundo’”, explicou a presidente-coordenadora da Ajeb/MA, Anna Liz.

O E-book pode ser adquirido pela Amazon e também está disponível na Rede Sem Fronteiras, no valor de R$ 5,49. O livro foi produzido pela Editora Letras Graciosas de Portugal e, posteriormente, será formatado em audiobook.

Homenagem Póstuma – A maranhense Isabel Cunha era cantora, compositora, artista plástica, atriz. Dedicou sua vida ao magistério e às artes. Filha do escritor, jornalista e professor Carlos Cunha, em um dos últimos eventos em homenagem ao seu pai, participou do “Recital Poético 30 anos sem Carlos Cunha”, organizado pela Inspirar Inovação & Comunicação, em parceria com a família do poeta, em outubro de 2020, por meio das jornalistas Franci Monteles e Yndara Vasques. O sarau está gravado no canal Inspire e Comunique no Youtube, onde pode ser visualizado.

Isabel era funcionária pública aposentada pelo Ministério da Fazenda e professora de Filosofia. Estudou canto, piano clássico, cavaquinho, ukulele e teclado. Foi classificada para o Festival “Canta São Luís”, da Prefeitura de São Luís. Dedicou-se, paralelamente, a artes plásticas e estava cursando a Escola de Formação para Atores de Cinema (EFAC), de Luís Mário Oliveira. Pela EFAC, Isabel gravaria um curta intitulado “Da Lata do Lixo”, no qual atuaria como atriz principal. Também, faria uma participação no filme Yolanda, com direção de Luis Mário Oliveira. Tinha um projeto musical de cunho social em combate à violência contra mulher, em parceria com sua irmã, a escritora e compositora Wanda Cunha.
Primeira Antologia – “Por que Escrevemos” é a segunda antologia produzida pelas ajebianas do Maranhão. A primeira coletânea “Toda forma de ser MULHER”, foi impressa, de autoria de 23 escritoras/jornalistas maranhenses, cujo lançamento ocorreu em outubro do ano passado, na Praça dos Poetas, com a participação de um pocket show promovido pelas compositoras Ana Tereza, Isabel Cunha e Wanda Cunha.
Ajeb – Uma instituição de quase 50 anos. Atua desde 1970 e tem como principal objetivo estimular a união das associadas, fomentar a harmonia nacional e internacional, promover o intercâmbio de conhecimento, ideias, experiências, amizade e respeito entre as associadas e com associações congêneres, incentiva o aperfeiçoamento profissional de suas associadas, por meio da participação em cursos, seminários e encontros culturais. No Maranhão, a Ajeb é uma instituição que tem se mostrado bastante atuante, promovendo várias ações culturais em todo o estado do Maranhão. Neste mês de março, promoveu a Campanha “Vozes femininas”, em homenagem a outras mulheres

O quê: Lançamento da a antologia-e-book “Por que Escrevemos – A voz da mulher” pela AJEB-MA e homenagem póstuma à artista Isabel Cunha
Quando: 31 de março às 19h no instagram @ajeb-ma

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.